segunda-feira, janeiro 1


BEM HAJA

A ti Tagus, eu quero agradecer

A noite linda que me deste p'ra nascer

A companhia com que te pude ter

A inspiração com que te estou a rever

O sussurro dos teus ruídos

Das gotas que teimam em beijar as margens

Os aromas que transportas

E com que perfumas os teus percursos

A inconstância das formas que desenhas

Que preenchem horas sem fim o nosso imaginário.

Toda a envolvência com que nos abraças

E nos transportas ao acolhedor ventre materno.

Como te olhei em noite rica

Em que a escuridão nos rodeou

Me fez viajar parado

Por todo o percurso de tantos anos!

Tu? Tens mais, e estás viçoso!

As tuas fraquezas não as deixas ver

Como eu gostava de as perscrutar......

Na vã esperança de aprender a não as ter

E toda a luz que em ti vi reflectida

Quais estrelas em terráqueo firmamento

Pontos de esperança, cintilares de feitos

Mas também luzes de sofrimento....

E Tu?

Sempre correndo ao ritmo do tempo...

Ora p'ra cima num recolhimento

Ora p'ra baixo, em busca de um encontro

Com o teu mar, a quem te queres juntar

É a lição dessa variância

É a beleza da tua suavidade

Entrecortada com a força da tua extravagância

Que quando longe...... nos deixa saudade.

E em momentos de grande felicidade

Em que queremos festejar

Entre amigos de verdade

Tu..... passarás sempre a estar!



13 comentários:

..."Meu Mundo"... disse...

Linda imagem!
Linda também é a forma nostálgica
que usa pra demonstrar alegria e reconhecimento de lindas lembranças...
Demonstra a vida em abundância dentro de si e todo o carinho quando divide
um momento lindo assim com todos nós que passamos por aqui...

Um ótimo início de Ano Dragão poeta...
Um bju carinhoso
Nel

Helena disse...

"Para construir a esperança basta um coração generoso e uma mente livre." "Alberoni" Feliz Ano Novo

Anónimo disse...

A sua amizade/paixão à água é de louvar. A sua maneira de o demonstrar é linda !
Amicalement

f disse...

AMIGO!
Lamento a razão que o levou a não poder estar connosco, sábado 13/01 imagino o pequenez do seu coração de tão apertadinho... Estimo que seja capaz de voltar a sentir-se um dragão!
Todos seremos poucos a ajudar a ultrapassar este drama tão vivido de perto... acarinho-o em jeito de festinhas a yuri para que se venha a sentir bem!
Um grande abraço com sincera amizade!

Passaro Azul disse...

Sem sombra de dúvida, que maravilhoso poema!
Transporta-nos, muito mais além do que nos descreve com tanta sensibilidade e faz-nos até respirar um pouco o aroma desse imenso rio que, correndo para o Mar,levou certamente nele toda a beleza que nessa noite viveu, passando a enriquecer outras margens por onde passar.
Deixo-lhe o meu abraço com carinho e gratidão pela partilha.

Dad disse...

Até quando um rio capaz de nos alegrar?

Com este mundo a degradar-se por culpa dos humanos, muito sofrem as águas...

Um beijinho,

A Sonhadora disse...

COMO UM RIO TRANQUILO ASSIM DEVEM SER NOSSAS VIDAS PEREGRINAS...
UM BZUNNZUM DA ABELHINHA

Anónimo disse...

Olhar para o rio ao som da música de Verdi , que bela maneira de relaxar.
Bem Haja !

Paula Raposo disse...

Gostei de ler.

Arlindo de Sousa disse...

A poesia quando é profunda agrada-nos sempre. Parabéns!
Arlindo de Sousa

Kalinka disse...

Venho dizer-lhe que escrevi no meu blog como vi o jantar em que fui caloira.
Se quiser espreitar...esteja à vontade.
Adorei o convívio.

Até sempre.

Dad disse...

Olá! Bom dia!

Tenho fotos da janta publicadas no Momentos!

Beijinho,

Augusto disse...

Há fotos novas no Convivas do costume. Fotos do jantar de blogs

Augusto